Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Vergonha

por Nuno Saraiva, em 10.12.10

Esta história de haver escassez de açucar, precisamente na altura do Natal, onde tipicamente se fazem muitos doces, é uma grande coincidência.

 

Como dizem que não há coincidência, é simplemente uma especulação vergonhosa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:06


Que dependência do petróleo?

por Nuno Saraiva, em 28.06.09
Pode o mundo viver sem o negócio do petróleo e dos automóveis?

Um ecologista dirá que sim. E que o Lobby do petróleo não deixa desenvolver a indústria automóvel, etc.

Mas, se dum ano para o outro, desaparecerem as petrolíferas, e a industria automóvel, o impacto que isso terá no desemprego, e na falência de milhares de empresas que são economicamente dependente delas será brutal e muito problemático para os países desenvolvidos.

No caso português, temos a AutoEuropa e as empresas satélite, coisa em tão pequena escala, e que já tantos problemas traz ao país, a ideia duma deslocalização.

O problema é que a nível mundial, a coisa tem proporções brutais.

Na última lista que a Forbes fez sobre as grandes corporações, no top 25, estão 9 petrolíferas e 2 construtoras automóveis. A empresa GDF comercializa e produz electricidade, gás e combustíveis, por isso aparece isolada.

[caption id="" align="alignnone" width="435" caption="Fonte dos dados: Top 25 grandes empresas. Elaboração: Nuno Saraiva"]Fonte dos dados: Top 25 grandes empresas. Elaboração: Nuno Saraiva[/caption]

Posicionadas da seguinta maneira:
Rank Company Country Industry
1 General Electric United States Conglomerates
2 Royal Dutch Shell Netherlands Oil & Gas Operations
3 Toyota Motor Japan Consumer Durables
4 ExxonMobil United States Oil & Gas Operations
5 BP United Kingdom Oil & Gas Operations
6 HSBC Holdings United Kingdom Banking
7 AT&T United States Telecommunications Services
8 Wal-Mart Stores United States Retailing
9 Banco Santander Spain Banking
9 Chevron United States Oil & Gas Operations
11 Total France Oil & Gas Operations
12 ICBC China Banking
13 Gazprom Russia Oil & Gas Operations
14 PetroChina China Oil & Gas Operations
15 Volkswagen Group Germany Consumer Durables
16 JPMorgan Chase United States Banking
17 GDF Suez France Utilities
18 ENI Italy Oil & Gas Operations
19 Berkshire Hathaway United States Diversified Financials
20 Vodafone United Kingdom Telecommunications Services
21 Mitsubishi UFJ Financial Japan Banking
22 Procter & Gamble United States Household & Personal Products
23 CCB-China Construction Bank China Banking
24 Verizon Communications United States Telecommunications Services
25 Petrobras-Petróleo Brasil Brazil Oil & Gas Operations

Se nos focarmos no n.º de empregados, temos o seguinte ranking:



São cerca de 2.160.000 de empregos, isto só nas que se encontram nas 25 maiores para a Forbes. Curioso é a Wall Mart sozinha gerar 2.100.000 empregos.

O que fazer a estes 2 milhões ou 4 milhões, quem sabe, quando acabar o petróleo?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:09


Disciplina: Empreendedorismo

por Nuno Saraiva, em 17.06.09

Tenho lido nos jornais, em alguns blogs, e apresentações de conferências, discussões, etc., a preocupação com a necessidade do emprendedorismo ser uma disciplina.


Que não fosse secundária, mas pelo menos universitária. No mínimo, que toda a preparação universitária não fosse, como hoje, direccionada apenas para apontar pessoas para o mercado de trabalho, mas para duas soluções: Mercado de trabalho, e possível criação duma empresa.


É natural que uma pessoa com os cursos de hoje em dia não tenha know-how suficiente para montar e gerir uma empresa.


Agora que penso nisso, no meu curso raramente ouvi falar em cliente, sempre o patrão, as empresas, o mercado de trabalho.


A alguns quilómetros daqui.


Estava eu a ver se aprendia alguma coisa sobre recursos humanos, recrutamento, gestão, etc., no site HRlink.in (sou de opinião que devemos estar atentos ao que se passa no BRIC, pode ser uma vantagem a longo prazo); Entrei num dos seus foruns e fui ter a um texto relativamente bom sobre a situação do emprendedorismo na Índia.


Vale a pena ler o retrato completo, para este texto destaco:



Entrepreneurship has earned a newfound respect in our country

This is a good sign for us to maintain the nine percent growth we talk about: we must create jobs and while the government can only play facilitator, the education system, especially our universities together with the industry must nurture the required ecosystem. Education needs to adapt its curriculum to encourage entrepreneurial skill sets right from high school onwards. Opportunity evaluation, risk taking, raising and leveraging resources, communications, and sales are survival skills; and these cannot be imbibed through an intensive dose later in life. If students are given opportunities to practice these skills in the relatively safe and risk-free environment of an academic institute, young people, when they do start ventures, will have higher chances of success.


Estas palavras vão exactamente de encontro ao que por cá se vai dizendo, nomeadamente nos meios ligados ao Venture Capital, Seed Capital, Business Angels, etc.


Porque é que tenho a sensação que a Índia o vai fazer muito primeiro que Portugal?


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:17


Flashback - Crise automóvel

por Nuno Saraiva, em 01.06.09
Um dos motivos que permite temer que em consequência da crise dos bancos surja a crise do automóvel, nomeadamente nos Estados Unidos, é o facto da importância que o capital dos bancos tem na estrutura financeira destas empresas.

(...)

Claro que as empresas tentam suavizar a situação, e, tendo contraído elevados empréstimos, não dizem ser para sobreviver, mas sim para inovar e investir em veículos alternativos. Ora numa época em que a energia alternativa é a única solução, é o mesmo que estar a dizer “Ou entra dinheiro ou não aguentamos.”

Em 22 de Setembro de 2008

Estamos neste momento a ver a confirmação dos factos que os dados indicavam, a indústria automóvel está saturada.

Recordo agora o que escrevi há um ano:

Quantos anos mais durará o tráfego automóvel como o conhecemos?


Uma perspectiva terrível é a que o negócio do automóvel e gasolinas pode acabar a curto prazo. Haverá na Exxon, a visão que o negócio do automóvel e dos combustíveis está a acabar, e não vale a pena investir?


Poderá haver. O Telegraph.co.uk já coloca a questão para discussão (link). Pelo rumo que as coisas estão a tomar é possível que utilizar um carro seja um custo que as famílias não possam suportar.


Algum trabalho está a ser feito para acabar com a idade do petróleo (ver aqui) e perante esta informação como devem agir as companhias petrolíferas?



Em, 14 de Junho de 2008


Cada vez mais estou convicto que a conjução dos factores preço de construção, ambiente, depedência e custo energético (do petróleo), vão acabar com os carros com motor de combustão em menos de 20 anos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:54


Eu vou lá estar.

por Nuno Saraiva, em 21.05.09


Espero aprender muito sobre capital de risco e business angels. Tenho interesse em estar por dentro do assunto, quer como consultor de apoio à gestão, quer como empresário.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:47


Empreendedores de Colares

por Nuno Saraiva, em 12.03.09



Comecei no meu outro blog, dedicado à região de Colares, uma rubrica chamada empreendedores de Colares.

Gostava de todas as semanas apresentar um novo empreendedor, empresário ou simples freelancer. Não sei se vai ser possível, se não for, é por falta de adesão.

O objectivo é dar um pouco de visibilidade às pessoas, que empreendem na zona, e que muitas vezes, não têm apetência ou conhecimento para divulgar o seu trabalho na net.

Além das parcerias que possa desenvolver através da Códice de Papiro, dado que os seus membros conhecem bem o comércio da zona, esta é a minha participação para a evolução do empreendorismo em Colares.

O lançamento da ideia está aqui, e a primeira entrevista - que ficou excelente - aqui.

Mais à frente, vou reunir tudo numa webpage.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:56


A Crise do Subprime muito bem explicada.

por Nuno Saraiva, em 22.02.09
Dois vídeos que permitem a qualquer pessoa entender exactamente como começou a crise dos bancos.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=Q0zEXdDO5JU]

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=iYhDkZjKBEw]

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:19


Em Portugal

por Nuno Saraiva, em 06.02.09
Um grande exemplo de empenho das pessoas. Só com patrões e empregados a lutar para o mesmo se consegue andar para a frente.

Fábrica que custou um euro resiste à crise e aumenta volume de vendas


São estas notícias que me fazem acreditar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:31


A eterna bancarrota

por Nuno Saraiva, em 30.12.08


Via The Daily Uplift

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:14


Madoff, as regras, a ética e o ser humano

por Nuno Saraiva, em 28.12.08
[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=ab1NTIlO-FM]

Um vídeo de 2007, claro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:07


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2005
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2004
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D