Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Disciplina: Empreendedorismo

por Nuno Saraiva, em 17.06.09

Tenho lido nos jornais, em alguns blogs, e apresentações de conferências, discussões, etc., a preocupação com a necessidade do emprendedorismo ser uma disciplina.


Que não fosse secundária, mas pelo menos universitária. No mínimo, que toda a preparação universitária não fosse, como hoje, direccionada apenas para apontar pessoas para o mercado de trabalho, mas para duas soluções: Mercado de trabalho, e possível criação duma empresa.


É natural que uma pessoa com os cursos de hoje em dia não tenha know-how suficiente para montar e gerir uma empresa.


Agora que penso nisso, no meu curso raramente ouvi falar em cliente, sempre o patrão, as empresas, o mercado de trabalho.


A alguns quilómetros daqui.


Estava eu a ver se aprendia alguma coisa sobre recursos humanos, recrutamento, gestão, etc., no site HRlink.in (sou de opinião que devemos estar atentos ao que se passa no BRIC, pode ser uma vantagem a longo prazo); Entrei num dos seus foruns e fui ter a um texto relativamente bom sobre a situação do emprendedorismo na Índia.


Vale a pena ler o retrato completo, para este texto destaco:



Entrepreneurship has earned a newfound respect in our country

This is a good sign for us to maintain the nine percent growth we talk about: we must create jobs and while the government can only play facilitator, the education system, especially our universities together with the industry must nurture the required ecosystem. Education needs to adapt its curriculum to encourage entrepreneurial skill sets right from high school onwards. Opportunity evaluation, risk taking, raising and leveraging resources, communications, and sales are survival skills; and these cannot be imbibed through an intensive dose later in life. If students are given opportunities to practice these skills in the relatively safe and risk-free environment of an academic institute, young people, when they do start ventures, will have higher chances of success.


Estas palavras vão exactamente de encontro ao que por cá se vai dizendo, nomeadamente nos meios ligados ao Venture Capital, Seed Capital, Business Angels, etc.


Porque é que tenho a sensação que a Índia o vai fazer muito primeiro que Portugal?


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:17


4 comentários

De Carlos Serrão a 18.06.2009 às 00:49

No ISCTE-IUL, há uma cadeira que eu lecciono aos alunos do 4º ano e Informática e Gestão de Empresas (finalistas) que se chama Projecto de Empresa Digital, em que o objectivo é que os alunos criem a sua empresa de base tecnológica (ou que use a tecnologia como fazendo parte do seu core business), e em que em parte essa vertente empreendedorista é explorada. Eles vão ter que criar não apenas o Plano de Negócios, mas tb protótipos do produto/serviço a comercializar. O objectivo final da cadeira é que o Plano de Negócios e o protótipo possam convencer um potencial investidor a investir na ideia.
Enfim, é um princípio...

De Pedro Candeias a 18.06.2009 às 02:39

Estou agora no processo de criar a minha primeira empresa e o que está escrito neste post retrata a realidade.
A minha licenciatura foi sempre orientada para o trabalho em si e nunca durante os 4 anos de curso se abordou a criação de uma empresa. É de notar que acabei o curso em 2004.
As universidades no entanto estão a evoluir nesse sentido. A criação de incubadoras dentro das universidades é um sinal disso. Outro são os cursos que vão aparecendo, o Mestrado em inovação e empreendorismo tecnológico da UP é um desses exemplos.

De Nuno Saraiva a 18.06.2009 às 13:42

Obrigado pelos comentários. Na realidade, a área da tecnologia está um bocadinho mais desperta para este facto que os restantes sectores da economia.

Claro que isto se deve à grande rendibilidade que alguns tipos de projectos nesta área tiveram,e ainda é pensado por nós (maioria) mais como uma forma com risco de se ganhar muito dinheiro, do que como base do sistema económico.

Mas é bom, que vão surgindo unidades curriculares como a que o Carlos Serrão lecciona.

De Pedro Candeias a 18.06.2009 às 15:14

Nuno, estou igualmente de acordo com o teu comentário. O meu projecto é na área da comunicação social e até agora não encontrei ninguém que fosse do meio (empreendorismo) e que estivesse ligado de alguma forma a esta área. Será azar? Acho que não. Algumas áreas são tradicionalmente menos empreendedoras e consequentemente existem poupas pessoas ligados ao mundo do empreendorismo para partilhar as suas experiências e conhecimentos. Acho que isso não vai mudar.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2005
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2004
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D