Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]






Recebi no e-mail uma acusação de ilegalidade por parte dum conhecido restaurante lisboeta, que não vou divulgar pois não sou adepto destas difamações através de correntes de e-mail, blogs, sites, etc.


O texto é o seguinte:



*Restaurante ***** ****Peçam sempre as vossas facturas/talão do MB quando
forem ao ****** ****.
A conta foi 292,50€ mas eles cobraram a mais 200,00€
para além do valor da conta, a título de gratificação.

Só hoje reparei que o débito a minha conta tinha
sido de 492,50€ e não de 292,50€, isso obrigou-me a ir a
casa buscar os
comprovativos que tinha e voltar lá para reclamar, eles
alegaram o seguinte:

"...foi o senhor que digitou o valor de gratificação"

"...é a máquina nova que faz estes erros"

Na minha opinião eles agiram de má fé quando
cobraram os 200€.

Após o término das desculpas o senhor deu-me o
cheque dos 200€ cobrados indevidamente.

Reparem que no talão do MB aparece a frase "*inclui
gratificação de **200,00 EUR* "


 


 


Em causa está uma gratificação de 200 Euros, digitada num terminal de pagamento que agora permite este tipo de operação.


Esta gratificação é normalmente para o empregado, pelo que me parece exagerado a acusação de ilegalidade no restaurante X.


Não me parece que a gerência dum restaurante com nome incentive um empregado a fazer tal coisa, mas a verdade é que estas situações vêm provar que todas as nossas acções enquanto membros ou colaboradores de determinada organização, são sempre associadas à organização.


A meu ver uma de quatro coisas pode ter acontecido:


i) O empregado agiu de má fé, e digitou a gratificação de 200 Euros.


ii) O cliente, com a rega do repasto queria digitar 2 Euros de gratificação e houve problema de digitação e confusão com as casas décimais.


iii) O mesmo que ii) mas por engano do empregado por cansaço.


iv) o cliente estava mesmo bem regado e digitou 200 euros sem noção do que fazia.


 


Mas daí a vir acusar o restaurante, sendo a reacção natural, acaba por ser injusto.


(E nem quero por a hipótese de ser algo propositado por parte da concorrência.)



publicado às 18:48


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2005
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2004
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

subscrever feeds