Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Pingo Doce again?

por Nuno Saraiva, em 30.04.13

 

 

Surgem já rumores que amanhã há uma mega-promoção, inclusive vem noticiada a intenção no Diário Económico.

 

No entanto, no Público, vem a notícia que o Pingo Doce nega a existência da promoção.

 

“A campanha que o Pingo Doce fez no dia 1 de Maio de 2012 foi única, excepcional e irrepetível nos termos em que ocorreu”, diz um comunicado oficial da empresa. Os boatos de uma promoção, da mesma dimensão, já circulam nas redes sociais e o Diário Económico escreve que está em preparação uma mega campanha. Foi pedido aos funcionários que chegassem mais cedo ao local de trabalho e as chefias já terão sido informadas da nova acção, refere o jornal.

 

O que é facto, é que a campanha do ano passado foi tão boa, que mesmo um ano depois trás proveitos de visibilidade nos media.Faz amanhã um ano que aconteceu a fantástica promoção que pos o Pingo Doce em destaque em todos os meios de comunicação e muitos blogs.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:37


Pezinho da Vila

por Nuno Saraiva, em 22.04.13
Esta era a música que a minha avó cantava para eu e os meus irmãos dormir-mos a sesta. Sempre pensei que era popular da minha zona, afinal descubro que é dos Açores.
Não deixa de ser estranho uma coisa popular dos Açores dizer "Eu fui de Lisboa a Sintra". :)



Eu nasci à Sexta-Feira
de barbas e cabeleira
mais parecia o Anti-Cristo
até o senhor padre cura
que é homem de sabedura
nunca tal houvera visto

Ponha aqui o seu pezinho
devagar devagarinho
se vai à Ribeira Grande
eu tenho uma carta escrita
para ti cara bonita
não tenho por quem a mande

Fui-me casar às Capelas
por ser fraco das canelas
com uma mulher sem nariz
estas gentes das Fajãs
já me deram os parabans
p´lo casamento que eu fiz

Eu fui de Lisboa a Sintra
à casa da tia Jacinta
p'ra me fazer uns calçons
mas a pobre criatura
esqueceu-se da abertura
p'ra fazer as precisons

Eu fui até Vila Franca
escachado numa tranca
à morte duma galinha
o que ela tinha no papo
sete cães e um macaco
e um soldado da marinha

Toda a moça qu'é bonita
s'ela chora s'ela grita
nunca houvera de nascer
é coma a maçã madura
da quinta do padre cura
todos a querem comer

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:45


Jacqueline du Pré

por Nuno Saraiva, em 16.04.13

Estava a ouvir obras aleatórias de Bach no Spotify[1] quando uma interpretação me chamou a atenção por ser diferente. Era uma interpretação de Jacqueline du Pré.

 

Fui à pesquisa e decobri que du Pré foi um génio, que como muitos outros morreu cedo demais.

 

 

 

 É uma música sem igual.

 

Du Pré, Estreou-se em 1961, com 16 anos e terminou a carreira em 1973 com escleróse múltipla. Faleceu em 1987, com 42 anos.

 

 

A sua vida pessoal foi complicada, e consta que houve problemas com a irmã e o cunhado. Tudo indica que ela e o cunhado tiveram um caso, dado que os seus relacionamentos foram falhados.

 

Tinha em tempos visto um filme da sua vida (sem saber quem era e que era uma história verídica). É um drama enorme para ela e para a sua irmã, flautista sem sucesso (Hillary du Pré) sempre posta em segundo plano pela sua genealidade artística. No filme a sua irmã consente que o marido satisfaça as vontades da irmã, já em declínio psicológico/emotivo.

 

Parte 1: http://www.youtube.com/watch?v=kTnIB61Hjiw

Parte 2: http://www.youtube.com/watch?v=nqxD9FeQEXo

 

A parte final do filme é pertubante por causa da sua doença.

 

No fim, o que interessa é que o violoncelo de Jacqueline tem um som soberbo e relaxante. Vale a pena ouvia a sua discografia.  

 Jacqueline Du Pre

 

 

 

 

[1] O Spotify deveria rever a sua classificação de música clásisica / erudita. Há uma grande confusão entre compositores e intérpetres. Há Albuns em que o autor é Mozart, por exemplo e não se sabe quem é o interprete e há albuns onde se sabe quem são os interpretes e não se sabe quem é o compositor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:41


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2005
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2004
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

subscrever feeds