Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




As marcas dos portugueses

por Nuno Saraiva, em 19.02.08
As marcas em que os portugueses mais confiam
A nível nacional, é de reter a confiança que os Portugueses depositam nos CTT (87% nos Correios, Encomendas e Expresso), no óleo Fula (74% nos Óleos Alimentares), na Galp (61% nas Gasolineiras), na Delta (57% na categoria Cafés), na TMN (49% em Operador de Telecomunicações Móvel), na Sagres (45% nas Cervejas), na Caixa Geral de Depósitos (31% na Banca) e no Continente (33% em Hiper/Supermercado).
Marcas portuguesas de confiança são também a Agência Abreu (55% na categoria Agências de Viagens), o Sapo (46% em Empresas de Serviço de Internet) e a Fidelidade Mundial (24% em Companhias de Seguros).


Gostava de saber até que ponto os leitores das Selecções do Readers' Digest representam a população portuguesa.

Nas estatísticas deveria haver por partes da comunicação social um pouco mais de cuidado com as conclusões que se tiram da amostra para o Universo.


publicado às 13:27


Estou de férias

por Nuno Saraiva, em 18.02.08
... e ainda bem.

Não há nada mais deprimente que começar uma semana embaraçado no trânsito. Ou dentro de um autocarro que não a anda a ser molhado pelos chapéus dos outros.

Ou sem água quente para o banho. Ou com infiltrações em casa.

Aproveito esta semana para testar alguns softwares.

Actualizar-me no que diz respeito aos processos administrativos do ministério das finanças.

Iniciar mais um teste, desta vez mais amplo, do e-learning da CTOC.

Actualizar o meu site: www.nunosaraiva.eu.

Ler algumas coisas do novo Sistema de Normalização Contabilisticas.

Tentar conhecer melhor as características das demonstrações financeiras das empresas de leasing.

Tentar saber informações de como está a correr a implementação do novo POC em Espanha.

Tentar perceber alguma coisa sobre os planos de contas da Alemanha.

Ler o Scientific Advertising.

Em suma, uma semana de férias de 2007 que estavam por gozar, investido em auto-formação, treino e presença na net.

publicado às 15:49


gesbanha

por Nuno Saraiva, em 18.02.08
Já há uns bons meses que venho lendo o blog de Francisco Banha - gesbanha.

Essencial a qual pretenso empreendedor.

Tags:

publicado às 15:00


Blogroll

por Nuno Saraiva, em 17.02.08
Alterada a lista de links.

Saiu o Abrupto. Já não gosto de o ler. Muito repetitivo. O Abrupto é um ideal e não parece um blog pessoal.

Entraram o Pedro Rolo Duarte, que escreve mesmo muito bem; o Nuno Barreto, que lia nos tempos em que era agregado do prt.sc; e o Jogo da Sueca, histórias de um português que esteve na Suécia, mas já voltou.

publicado às 22:37


Fraude Fiscal

por Nuno Saraiva, em 17.02.08

Manhã de Domingo chuvosa.


Como todos os Domingos excepto os de Verão, antes de almoço ligo o pc para ler as notícias. As do dia e as que ao longo da semana guardei para ler, aplicando-lhe uma estrelinha no Google reader.


Sinais de terceiro mundismo na Europa.


Na Alemanha, Políticos estupefactos com gigantesca fraude fiscal, pedem castigos exemplares.


Não gosto de políticos estupefactos. Das duas, uma: Ou estes políticos julgavam que estavam num país exemplar, ao nível dum Dinamarca, Suécia ou Noruega; Ou esta estupefacção conjunta deixa no ar um cheiro a falso surpreendimento, ou mesmo cinismo.


Por cá, as coisas estão mesmo negras:


PJ investiga fraude fiscal no BCP


No corpo da notícia fala em branqueamento de capitais. A apurar-se algo de relevante nestas áreas (Fuga ao fisco/ branqueamento), poderá ser a morte anunciada do Banco.


O desenvolvimento destes casos será fulcral para a sociedade e justiça fiscal. Alemanha e Portugal têm possibilidade de mostrar que a justiça fiscal é para todos, e fazer com que todos os empresários pensem duas vezes antes de fugirem ao fisco.

publicado às 12:04


Tampão de gasolina

por Nuno Saraiva, em 15.02.08
Recebi há pouco tempo esta informação por e-mail, particularmente útil para quem anda muito com carros alugados.

O lado onde está a mangueira no símbolo da gasolina indica o lado do depósito.

Pelo que tenho visto bate certo...

Tags:

publicado às 15:55


25 Libras para entrar em Londres

por Nuno Saraiva, em 14.02.08
Carros de alta cilindrada....

Drivers of high powered sports cars and 4x4s will be hit by a new £25 charge every time they enter central London under plans to reduce congestion and cut pollution across the capital.


Notícia

Tags:

publicado às 23:07


Contra a felicidade

por Nuno Saraiva, em 14.02.08

Há sempre alguém que é do contra. Mesmo contra a felicidade.

link amazon


Que motivos pode haver para alguém ser a favor da tristeza? Que mistérios revelará este livro?

Tags:

publicado às 18:32


Holmes Place

por Nuno Saraiva, em 11.02.08

O Holmes Place ou ainda não acordou, ou não quer acordar.


Insiste em não reflectir a baixa do IVA nas suas mensalidades. Agora até alargou o serviço aos ginásios de Espanha, por um preço parecido com o anterior - claro com fidelização de dois anos.


Senhores, já viram a página queixas.co.uk?


E já viram que há uma petição?


Já repararam que estão a sujar o nome nas notícias? Renascença Destak AFinanceira Visão, etc. etc.


Quanto a mim a decisão está tomada. Como estou por acordo de empresa seguiu e-mail para os RH. De qualquer forma, em Maio, mês de renovação do contrato, será o meu último mês como cliente.


Vou mudar. Como é óbvio. 


 

publicado às 21:22


Gosto de ti, ó Lisboa

por Nuno Saraiva, em 10.02.08

Tenho saudades de estar em ti, ó Lisboa.


Foi em ti que vivi grandes anos da minha vida, que encontrei o meu amor, que me licenciei, que cresci profissionalmente.


Fui obrigado a abandonar-te, mas tenho saudades. Muitas saudades.


Saudades dos cinco anos que trabalhei no Marquês do Pombal, dos finais de tardes frias, em que descíamos a Avenida da Liberdade a pé. Olhando montras, vitrinas de cafés e hotéis, agências de viagens.


Saudades de beber a bem disposta bica na pastelaria irlandesa, ver as gordas [1], dar a voltinha higiénica.


Saudades de comer a pizza picante no American Disaster, com vista para a rotunda.


Como era bom o café e o Pastel de Nata, ali na Brancaamp, perto do edifício Castilho.


E durante o ano que trabalhei na Castilho, como sabia bem, descer o parque Eduardo VII, sozinho, nas calmas, com meia-hora para o fazer.


E saudades também dos tempos que passei nas Avenidas Novas. Saudades de não ir trabalhar e ir para o ISCAL estudar. Ir almoçar ao Sr. Zé [2].

E como era bom, quando me sentia desanimado, sozinho, comer ali nos Restauradores, duas bifanas com muita mostarda e duas imperiais, e ir dormir na viagem de comboio.


Jantar sandes da Merenda na extinta loja Select.


E o Verão... Quando por motivos profissionais houve férias desencontradas, como gostava de ir ter com ela ao restaurante Baloiço, ali na Columbano Bordalo Pinheiro, onde o simpático Miguel era o maior exemplo de excelência no atendimento ao cliente que vi até hoje.


E de beber a bela da ginjinha.

E comer castanhas assadas, no Outono.


E aquela vez que o Belga me disse que no Centro Comercial Mouraria, no Martim Moniz, havia gravatas a 2.5 Euros. E lá fui eu, numa tarde de Sábado, comprei uma gravata azul com bolinhas amarelas e uma outra com cavalinhos. E depois fui lá abaixo e comi uma sandes de panado horrível, que escorria óleo. Quando vinha para sair - rusga policial. Não queria acreditar, um pacato tipo que foi comprar gravatas baratas ia ser alvo duma rusga.


Os polícias mandaram toda a gente para o piso de baixo. Eu, subi as escadas, ao chegar à barricada, nervoso, olho o polícia que me pede o B.I.. Por sorte, tinha ido tratar nesse dia de algum assunto administrativo e tinha-o comigo. Na altura andava sempre sem B.I. por ser demasiado grande.


-Pode sair.


Eu eu saí prometendo nunca mais lá voltar.


E quando a Banda de Colares ia tocar à chegada dos músicos das maratonas de Lisboa, e depois íamos aos pastéis de Belém. Tão gulosos são estes que comi seis um dia. Depois com a minha tendência para enjoar nos autocarros veio tudo cá para fora.

Como gosto de ir às compras na baixa, no Colombo, No Atrium Saldanha, na Fetal da Av. República.

Das tardes de sol no Parque das Nações.

Que saudades das fantásticas noites da EXPO'98. E do concerto intimista de fados cantados pelo Miguel Gameiro e pela Rita Guerra. Poucas pessoas muito participativas.

E como era boa aquela sangria com um dedo de sapateiro de bagaço.

Como gostava de poder ir mais vezes ao Pinóquio, ao Ramiro e o Solar dos Presuntos.

Tenho saudades de te viver.

Como gosto de ti, ó Lisboa

 

foto de Jorge Montero Tapia sob licença CC

[1] Capas dos jornais

[2] Restaurante/Café Artigo 14, na Miguel Bombarda

publicado às 20:38



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2005
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2004
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

subscrever feeds