Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Simulação

por Nuno Saraiva, em 18.07.07
Um Técnico Oficial de Contas que não esteja no Activo, tem necessidade de se actualizar e não perder a prática, ou tudo acaba por cair em esquecimento. É por isso necessário fazer leitura constante e de preferência, ir simulando, o que permite ter alguma prática. Este é um único meio de alguém de manter autónomo e manter verdadeira capacidade de assumir todas as responsabilidades contabilísticas e fiscais inerentes ao cargo de Técnico Oficial de Contas.

No que respeita à contabilidade, há o problema das licenças de software, que além de caras, carecem de actualização anual. Porém é possível fazê-lo numa folha de cálculo, com algum trabalho base.

A parte da fiscalidade é mais sensível, pois vai mudando ano após ano, consoante o que dizem os Orçamentos de Estado, os Directores de Finanças, e os Ministros (Por exemplo as alterações introduzidas pelo simplex).

No site das finanças existe a hipótese de fazer o download das declarações numa aplicação, para quem opte por as preencher off-line. Estes programas permitem fazer a simulação de quaisquer dados que se tenha e inclusive validá-las (no sentido de todos os campos necessários estarem preenchidos nos formatos previstos).

Feita as instalações destes programas, estes passam a ser um programa como qualquer outro.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


E algo que me surpreendeu pela positiva. Existem estes programas para diversos sistemas operativos. Na verdade, com software de contabilidade não é assim tão fácil.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

publicado às 10:54


Apoiado

por Nuno Saraiva, em 17.07.07


Tal como o Phil


Eu também as odeio!!!

I Hate Crocs dot com

Tags:

publicado às 22:28


Notícia (auditoria)

por Nuno Saraiva, em 15.07.07
Comissão Europeia estuda Auditoria no Estados Membros

publicado às 23:38


Música da Semana #1.01

por Nuno Saraiva, em 15.07.07
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

O tema desta semana é o iPhone. Blog que é blog tem que escrever sobre este aparelho. Assim, foi o tema escolhido para o audiopost semanal.

A música chama-se iDon'tcare e foi composta e cantada por Tom Smith. Fala-nos também do iPhone.

Tecnicamente, tentei afastar o microfone, pois na sessão experimental ouvia-se a minha respiração. Acontece que ficou o som baixo de mais, e tive que baixar todas as pistas, pelo que o som do podcast.

No conteúdo, esqueci-me de referir, a funcionalidade leitor de mp3.

Na semana passada esqueci-me de colocar dois links, de podcasts referidos:
Adam Curry
Pod save the Queen

Links da emissão:
Tom Smith
iDon'tcare



aaaOUVIR AAAAAAAAAAAAaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaA DOWNLOAD aaaaaaaaaaaaaaa FEED
aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaPhoto Sharing and Video Hosting at Photobucketaaaaaaaaaaaaaaaa Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

publicado às 20:55


Dress Code

por Nuno Saraiva, em 13.07.07
Nuno Barreto não gosta de dress codes. Eu defendo-os.

Uma organização deve ser um conjunto de pessoas, que conjuntamente tentam atingir objectivos comuns. A maneira como as pessoas se vestem e se comportam deve ser harmoniosa e homogénea.

É certo que o Dress Code deve ser adequado à actividade da empresa. Calções e chinelos são adequados para uma equipa de trabalhadores dum bar da praia, camisa e calças para uma empresa de engenharia e fato e gravata numa consultora.

Não dá mais inteligência, com certeza, mas se alguém visita a empresa, é muito diferente, dá um aspecto organizado e profissional. Se cada um for como entender, provoca uma imagem caótica.

Eu não queria trabalhar numa empresa onde não houvesse um dress code, ou um cuidado mínimo e demasiada informalidade. É que não faz sentido.

publicado às 17:36


Antecipação

por Nuno Saraiva, em 12.07.07

Segunda-feira comprei a minha primeira prenda de Natal. Às vezes há que aproveitar as oportunidades que nos surgem. E Dezembro será mais tranquilo...

Tags:

publicado às 10:52


"Eu, anti-capitalista me confesso."

por Nuno Saraiva, em 11.07.07

Ontem, ao pesquisar notícias de contabilidade, deparei-me com uma notícia, que de notícia pouco tem.

Podia ser um artigo. Um esclarecimento às pessoas, para que estas ficassem a saber o que é o outsourcing. Mas é uma opinião. Negativa, de alguém sem nome, inserida nas notícias da bolsa.

A frase introdutória, começa logo a "bater": Aqui chamamos outsourcing para parecer bonito mas não passa duma coisa pobre: "terceirização".

"Os brasileiros falam de "terceirização". Aqui, prefere-se dizer outsourcing, o que, além do mais, introduz no discurso um magnífico tom de tecnicidade. "

Segundo ponto com negatividade:

"Com uma expressão ou outra, o que se designa é um fenómeno muito de hoje: a redução do corpo e das responsabilidades próprias da empresa a um mínimo, e a centrifugação de actividades não "nucleares" (incluindo partes significativas dos processos produtivos) para outros centros de produção e de responsabilidades. "

Mínimo? Não é verdade… Trata-se de se concentrar no verdadeiro negócio e nas tarefas que a empresa pode fazer bem. Não se trata de mínimos.

Centrifugar? Esta é para dar a ideia que a empresa espalha de forma abrupta e desorganizada as actividades não "nucleares"

"O uso de termos ingleses (ou americanos) na conversa sobre a organização de uma empresa oculta, normalmente, desígnios pouco favoráveis ao destino das pessoas que lá trabalham. O outsourcing não foge à regra."

Esta dá vontade de rir. Target Cost, Brand, P&L, TurnOver, Head of Office, Retail Sales Manager, Compliance, Staff, Field, Outsourcing, Manager, Shares, Governance, Performance analisys, Finance Control and Accounting, etc. etc. (Sou um escravo, salvem-me!)

"Os argumentos de eficiência ou de economicidade que se usam para o explicar convencem pouco."

Quem? Os investidores?

"Quando funções porventura importantes (incluindo partes mais ou menos amplas do processo produtivo) são entregues a entidades estranhas que vão fazer delas objecto de negócio, este negócio pode prosperar de várias maneiras. "

Entidades estranhas? (Apetecia-me por aqui o smile "pensativo", mas não uso smiles na escrita estruturada.

A conclusão é uma coisa terrível. Conclui-se que o outsourcing é um meio somente para despedir pessoas…

"Uma (a salários iguais) pode traduzir-se em que, para qualidade idêntica, o preço cobrado seja superior ao custo que a empresa tinha para a mesma função. A vantagem é só uma: a empresa vê-se livre das pessoas que se ocupavam nesse trabalho. Perde um pouco o controlo do seu funcionamento, mas - caspitè! - reduz o efectivo."

Gostava de saber o que o autor considera "custo que a empresa tinha para a mesma função". Salários mais encargos? Ou salários, encargos, telefone, electricidade, água, café, espaço, computador, licenças de software, formação, despesas na formação, tempo de avaliação das pessoas por parte da direcção, tempo dos recursos humanos, e outras…

E que importa não controlar o funcionamento de determinada função, se a empresa não o faz com excelência, e se o output é o mesmo ou melhor?

"Outra (ainda a salários iguais) consistirá na baixa da qualidade da função, que a empresa externa realiza com menos gente, com processos menos sofisticados ou seja o que for. A vantagem da empresa-cliente é menos clara, mas existe: desfez-se do pessoal, reduziu. Priva-se de utilidade, suporta alguns transtornos, mas - vale a pena!"

A terceira via só difere das anteriores porque a empresa externa paga salários mais baixos, obriga o seu pessoal a cadências mais elevadas, o que lhe permite até embaratecer a coisa sem perda de qualidade. A empresa-cliente beneficia de todas as maneiras, mas alguém sofre: os despedidos e aqueles que fazem o trabalho deles.

Esta notícia é algo visto do pior ponto de vista possível. É certo que há má utilização destes processos em Portugal, devido a algum chico-espertismo. Mas é o mercado.

Além disso, o maior problema que se passa com o outsourcing nem aqui é referido, que é o trabalho precário, a recibos verdes, promovido por algumas destas empresas.


A utilização duma corrente que tem salvo muitas empresas do fim, para fazer um autêntico manifesto anti-capitalista é triste. Colocá-lo como uma notícia de bolsa, é muito triste.

Link da "notícia"

publicado às 13:32


Moda feminina

por Nuno Saraiva, em 10.07.07
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Hoje descobri por acaso, aquele que deve ser o melhor site de moda feminina de todos os tempos.

www.glimpse.com

A informação é tão extensa que nem dá para escrever o que tem.. Todas as peças da moda, catalogadas de diversas maneiras, por tipo de produto, por personalidade, por marcas, por lojas e ainda por preços.

Só chinelos tem cerca de 1.600.
Mais de 2.400 calças de ganga.
6.000 vestidos.
8.000 malas.
8000 jóias e 1700 relógios.
E algo que me deixou de boca aberta:

90.894 sapatos....

Noventa mil oitocentos e noventa e quatro sapatos existem este ano à venda. Fora as marcas que não estão no site e que existem por este mundo fora...

Decididamente um site que as mulheres não podem perder e que os homens devem consultar para se inspirar quando quiserem oferecer uma prenda... (Atenção que nem tudo o que se vende é de bom gosto.. (mas aqui, até não vi nada de muito espalhafatoso))


publicado às 22:25


Acreditar em nós próprios

por Nuno Saraiva, em 09.07.07
[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=1k08yxu57NA&hl=en]


Paulo Potts, era um inglês normal, um homem vulgar com um emprego banal: Trabalha numa loja de telemóveis. Decidiu concorrer à versão inglesa do "Aqui há talento!"
Tem uma imagem balofa. Uma falha nos dentes, uma maneira ridícula de falar, faz com que pareça um tontinho.
Quando o juri lhe pergunta o que ali vai fazer, responde, com ar apatetado que vai cantar ópera.
O descrédito do juri é imediato. Nas suas caras, vê-se que esperam perder tempo.

Paulo Potts acredita em si. Não se deixa desmotivar. Na sua certeza, reage com simplicidade às caras dos especialistas, que haviam feito o seu juízo negativo pela imagem.

O que acontece é fenomenal. O minuto escolhido, da ópera Nessun Dorma de Puccini, é provavelmente dos TOP 10 dos melhores minutos de toda a ópera.

Num minuto, Paulo Potter, passou de bimbo desacreditado a alguém que fez levantar o público, que emocionou muitos e fez alguns chorar.

A mim, admito, apareceu-me uma lágrima no canto do olho.


Esta história deve servir de exemplo para todos nós. Por muito que pareça que ninguém acredita em nós, se soubermos o nosso valor, temos que acreditar em nós.

Paul Potter acabou por ganhar o Aqui há talento, o que num concurso votado por telefone, com ópera, nos dias de hoje, não é fácil.

Vídeos relacionados:


Paul Potts na Semifinal do Aqui há talento
Paul Potts na Final do Aqui há talento
Anúncio do vencedor
O Nessun Dorma cantado pelos três tenores

publicado às 21:23


Música da Semana #1.00

por Nuno Saraiva, em 08.07.07
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket




Sessão experimental do podcast do blog Mente Positiva.

A música chama-se IF THIS GEEK RULED THE WORLD
Geoff Smith.

Nota-se pouco hábito de falar ao microfone, pouca experiência nas potencialidades do audacity, mas dá para ouvir, e a música é boa, para mim, claro.



aaaOUVIR AAAAAAAAAAAAaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaA DOWNLOAD aaaaaaaaaaaaaaa FEED
aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaPhoto Sharing and Video Hosting at Photobucketaaaaaaaaaaaaaaaa Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

publicado às 21:54



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2005
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2004
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

subscrever feeds