Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Target-costing pode falhar.

por Nuno Saraiva, em 20.09.07
Escreveu o Bruno:
Nunca pensei muito na ideia de target-costing. Aliás, foi a primeira vez que vi dar um nome ao conceito.

Quero só esclarecer que o conceito de target-costing é um conceito puramente económico. O modo como os produtos chegam aos clientes, a sua imagem no mercado, etc., é algo da competência dos gestores e do marketing da empresa.

Faz sentido pensar em target costing, normalmente em produtos que já passaram a fase de crescimento, e já estão implementados no mercado.
Por motivos diversos, esses produtos podem não ter a margem desejada, isto porque cada vez mais o PVP é feito pelo mercado, e já não se consegue utilizar a técnica de ao preço de custo acrescer a margem x%.

Por exemplo, temos no mercado um telemóvel com a marca y, com diversas componentes. Se aparecer um da marca z, com as mesmas características, mas mais barato, a empresa pode:

  • Reduzir o preço, e a margem (prejudicando o resultado e a remuneração do capital);

  • Confiar na sua "brand" e manter o preço (cada vez funciona menos);

  • Reduzir o preço e o custo, de modo a manter a margem (target costing).


Ora para reduzir o custo, a empresa tem de estudar e contabilizar todos os processos e componentes, e ver quais podem ser eliminados ou substituídos por outros mais baratos.

Para reduzir componentes tem que fazer um inquérito/estudo de mercado, e é neste que as coisas podem correr mal.

Num próximo post, apresentarei aqui um caso de target-costing bem sucedido, efectuado no início de 2007, de algo que nos passa regularmente pelas mãos.

A empresa reduziu os custos, maioria dos clientes nem notou e se notou não se importou, e ainda marcou pontos na consciência ambiental.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:46


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2005
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2004
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

subscrever feeds